DICAS, imobiliário e a sua Figueira da Foz
Voltar \ Avaliação bancária das casas chega aos 1.226 euros por m2 em janeiro (sobe há 22 meses).

Avaliação bancária das casas chega aos 1.226 euros por m2 em janeiro (sobe há 22 meses).

02 mar 2019
Avaliação bancária das casas chega aos 1.226 euros por m2 em janeiro (sobe há 22 meses).

O valor médio de avaliação bancária realizada no âmbito de pedidos de crédito à habitação voltou a aumentar em janeiro de 2019, para 1.226 euros por metro quadrado (m2), uma tendência que se mantém há 22 meses (está a subir desde abril de 2017). E mais: encontra-se em máximos de 11 anos.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em janeiro, o valor médio de avaliação bancária foi superior seis euros (0,5%) face ao mês anterior e 73 euros (6,3%) face ao período homólogo. 

“A nível regional, a maior subida para o conjunto da habitação registou-se no Alentejo (1,5%), tendo-se verificado a descida mais acentuada aconteceu na Região Autónoma da Madeira (-1,3%)”, lê-se no site do INE. Já em termos homólogos, foi no Algarve que se verificou a taxa mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se no (10,5%), tendo a menor ocorrido também na Região Autónoma da Madeira (3,4%).

No caso dos apartamentos, o valor médio de avaliação bancária foi, em janeiro, 1.288 euros por m2. Face a dezembro de 2018, a Área Metropolitana de Lisboa apresentou a maior subida (0,9%) e a Região Autónoma dos Açores registou a maior descida (-6%). Já em termos homólogos, o Algarve apresentou o crescimento mais expressivo (10,3%) e a única descida aconteceu na Região Autónoma dos Açores (-1%). 

Relativamente às moradias, a avaliação bancária situou-se em 1.125 euros por m2. “Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.600 euros por m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.547 euros por m2), tendo o Centro registado o valor mais baixo (966 euros por m2)”, conclui o INE.

Face ao mês anterior, o Alentejo apresentou o maior aumento (2,6%) e a Região Autónoma da Madeira a maior diminuição (-1,6%). Já em termos homólogos, o Algarve apresentou o maior crescimento (11%) e o menor ocorreu na Região Autónoma da Madeira (2,8%). 





 




Fonte: Idealistanews
Veja Também